quarta-feira, 25 de maio de 2011

Agora já era: nada de pornô e redes socias no trabalho

,
Ruídos e vozes ‘denunciam’ conteúdo


Quem gosta de dar umas espiadas em sites pornográficos, no ambiente de trabalho, deve ficar ligado. Um novo software, criado por dois engenheiros da Coreia do Sul, consegue identificar a pornografia através da análise do áudio.

O objetivo do programa é usar o som, e não a imagem, para saber quando um funcionário utiliza o computador da empresa para acessar conteúdo pornô. O software sonoro analisa a frequência das vozes e ruídos presentes em um material audiovisual.


Mas não são só sites pornográficos que "tiram o sono" dos patrões. Segundo pesquisa, as redes sociais geram enormes prejuízos às empresas. De acordo com o instituto uSamp, 60% das interrupções no trabalho envolvem o uso de redes sociais. Devido a elas, 45% dos empregados não conseguem trabalhar 15 minutos sem interrupção, e 53% ficam ao menos uma hora por dia nelas.

5 comentários to “Agora já era: nada de pornô e redes socias no trabalho”

Postar um comentário